Por um concelho limpo – Informações ao Público em Geral

Em 20 de Março do corrente ano, o país mobilizou-se para a operação “Limpar Portugal”. Tal iniciativa no concelho de Celorico da Beira traduziu-se na recolha de 15 toneladas de resíduos.
O tratamento devido de todo o tipo de resíduos tem elevada relevância, uma vez que se torna cada vez mais importante preservar o ambiente e assegurar a qualidade de vida dos nossos descendentes.
Grande parte dos resíduos existentes em todo o país, colocados aleatoriamente em locais desadequados, sem qualquer tratamento e alguns dos quais altamente tóxicos, provocam contínua degradação dos nossos recursos naturais, como os solos e a água. 
Verificou-se que grande parte dos resíduos colocados clandestinamente na área do concelho é resultante de construção e demolição (tecnicamente designados por RCD – Resíduos de Construção e Demolição).
A Câmara Municipal de Celorico da Beira aderiu à iniciativa “Limpar Portugal”, e pretende dar continuidade ao processo de limpeza do nosso concelho, cuidando dos nossos recursos naturais, sendo proactiva e tomando as medidas necessárias para se conseguir uma melhor qualidade ambiental no concelho, nomeadamente no que diz respeito à limpeza e higiene de todo o tipo de resíduos.
Assim, vai promover no Salão Nobre dos Paços do Concelho, no dia seis de Maio de 2010 uma formação interna para os funcionários da Autarquia e uma acção de sensibilização para os Ex.mos Srs. Presidentes da Junta de Freguesia , Empreiteiros e Gabinetes de Projecto Privados.
Os produtores deste tipo de resíduos (RCD), tomarão conhecimento da legislação em vigor e dos procedimentos correctos a adoptar na recolha, transporte e tratamento dos mesmos.

PARA INFORMAÇÃO DO PÚBLICO EM GERAL:
? Nos termos do artigo 11.º do Decreto-lei n.º 46/2008 de 12 de Março:
1 – Nas obras sujeitas a licenciamento ou comunicação prévia nos termos do regime jurídico de urbanização e edificação, o produtor de RCD está, designadamente, obrigado a:
a) Promover a reutilização de materiais e a incorporação de reciclados de RCD na obra;
b) Assegurar a existência na obra de um sistema de acondicionamento adequado que permita a gestão selectiva dos RCD;
c) Assegurar a aplicação em obra de uma metodologia de triagem de RCD ou, quando tal não seja possível, o seu encaminhamento para operador de gestão licenciado;
d) Assegurar que os RCD são mantidos em obra o mínimo tempo possível, sendo que, no caso de resíduos perigosos, esse período não pode ser superior a três meses;
e) Cumprir as demais normas técnicas respectivamente aplicáveis;
f) Efectuar e manter, conjuntamente com o livro de obra, o registo de dados de RCD, de acordo com o modelo constante do anexo II ao presente decreto -lei, do qual faz parte integrante.
? Nos termos do artigo 10.º do Decreto-lei n.º 46/2008 de 12 de Março:
1 — Nas empreitadas e concessões de obras públicas, o projecto de execução é acompanhado de um plano de prevenção e gestão de RCD, que assegura o cumprimento dos princípios gerais de gestão de RCD e das demais normas aplicáveis constantes do presente decreto -lei e do Decreto -Lei n.º 178/2006, de 5 de Setembro.
2 — Do plano de prevenção e gestão de RCD consta obrigatoriamente:
a) A caracterização sumária da obra a efectuar, com descrição dos métodos construtivos a utilizar tendo em vista os princípios referidos no artigo 2.º e as metodologias e práticas referidas no artigo 5.º do presente decreto–lei;
b) A metodologia para a incorporação de reciclados de RCD;
c) A metodologia de prevenção de RCD, com identificação e estimativa dos materiais a reutilizar na própria obra ou noutros destinos;
d) A referência aos métodos de acondicionamento e triagem de RCD na obra ou em local afecto à mesma, devendo, caso a triagem não esteja prevista, ser apresentada fundamentação da sua impossibilidade;
e) A estimativa dos RCD a produzir, da fracção a reciclar ou a sujeitar a outras formas de valorização, bem como da quantidade a eliminar, com identificação do respectivo código da lista europeia de resíduos.
3 — Incumbe ao empreiteiro ou ao concessionário executar o plano de prevenção e gestão de RCD, assegurando designadamente:
a) A promoção da reutilização de materiais e a incorporação de reciclados de RCD na obra;
b) A existência na obra de um sistema de acondicionamento adequado que permita a gestão selectiva dos RCD;
c) A aplicação em obra de uma metodologia de triagem de RCD ou, nos casos em que tal não seja possível, o seu encaminhamento para operador de gestão licenciado;
d) A manutenção em obra dos RCD pelo mínimo tempo possível que, no caso de resíduos perigosos, não pode ser superior a três meses.
4 — O plano de prevenção e gestão de RCD pode ser alterado pelo dono da obra na fase de execução, sob proposta do produtor de RCD, ou, no caso de empreitadas de concepção -construção, pelo adjudicatário com a autorização do dono da obra, desde que a alteração seja devidamente fundamentada.
5 — O plano de prevenção e gestão de RCD deve estar disponível no local da obra, para efeitos de fiscalização pelas entidades competentes, e ser do conhecimento de todos os intervenientes na execução da obra.
6 — A Agência Portuguesa do Ambiente disponibiliza no seu sítio na Internet um modelo de plano de prevenção e gestão de RCD.
Pretende a Autarquia resolver um problema de todos, em conjunto com todos, por forma a conseguir estancar a colocação ilegal de resíduos em locais não licenciados para o efeito.

Crescer com Saúde

Arrancou neste período a distribuição gratuita de fruta às crianças de todos os estabelecimentos de ensino do 1º Ciclo do Concelho de Celorico da Beira. Esta iniciativa surge no âmbito do Regime de Fruta Escolar que prevê a distribuição de duas peças de fruta por semana à população escolar abrangida. Objectivo principal é contribuir para a promoção de hábitos de consumo de alimentos benéficos para a saúde das populações mais jovens.
Beneficiam desta iniciativa neste ano lectivo um universo de duzentos e noventa e três alunos, com um orçamento previsto de 2109,60 €, atribuídos pelo IFAP – Instituto de Financiamento da Agricultura e Pescas a este município.
O Regime de Fruta Escolar resulta de um processo de coordenação da actuação da administração central, através dos Ministérios da Agricultura, do Desenvolvimento Rural e das Pescas, da Saúde e da Educação e dos Municípios.
A fruta fornecida à população escolar, obedece aos regimes públicos de Qualidade Certificada de Produção Integrada, de Produção Biológica, de Denominação de Origem Protegida, de Indicação Geográfica Protegida ou de Protecção Integrada, com vista à distribuição de produtos realmente saudáveis, de qualidade e que permita que se possa consumir a fruta biológica com a casca, em total segurança.
A adesão a este programa por parte do Município de Celorico da Beira demonstra a preocupação da autarquia com este tipo de acções, que possam contribuir para a mudança de atitudes e criação de hábitos saudáveis na comunidade escolar.

Obras de requalificação do Castelo de Celorico da Beira e Torre de Menagem

Sessão de Inauguração das Obras de requalificação do Castelo de Celorico da Beira e Torre de Menagem

Esta magnifica obra de requalificação, que foi comemorada no passado dia 4 de Setembro, contou com a presença de diversas entidades Locais, Regionais e Nacionais, com destaque para a presença da Secretária de Estado da Cultura, Drª Paula Fernandes dos Santos; O Presidente do Municipio, Eng. José Monteiro, a Governadora Civil do Distrito da Guarda – Drª Maria do Carmo Borges, entre outros.
Esta Obra representa sem dúvida o fruto de trabalho e dedicação de muitas pessoas e instituições, onde o Actual Governo teve um papel determinante, para que hoje esta obra seja uma realidade!
Esta requalificação reveste-se de um grande significado, pois estamos perante o expoente máximo do nosso Concelho, que ao longo dos anos foi votado ao abandono, vandalizado, mas resistiu e hoje, estamos perante uma requalificação que nos enche a todos de orgulho.
Desde 2007, foram feitos importantes trabalhos de requalificação do Castelo e da Torre de Menagem do Castelo de Celorico da Beira que visaram a recuperação deste importante património cultural do Concelho de Celorico da Beira.
Monumento Nacional desde 1922, este espaço até há pouco encontrava-se em ruínas, votado ao completo abandono, cheio de mato, colunas de cimento, inclusive chegando a não ter qualquer acesso ao seu elemento arquitectónico mais notável, a torre de menagem do Castelo.  
Quando há 4 anos atrás, este Executivo assumiu os destinos do Concelho, colocou esta obra como uma prioridade, porque entendeu que o símbolo de todos os Celoricenses deveria ser tratado de uma outra forma e então deitou “mãos à obra” e encetou várias diligências para que o projecto de requalificação deste espaço seguisse em frente, contando desde a primeira hora com o apoio e colaboração do antigo I.P.P.A.R., hoje IGESPAR para o projecto de recuperação do espaço mais nobre da Vila de Celorico da Beira.
O projecto de requalificação do Castelo de Celorico da Beira teve inicio com uma intervenção arqueológica que decorreu entre os meses de Janeiro e Março de 2007. 
Essa intervenção, evidenciou a existência de um vasto espólio arqueológico considerável, composto, na sua grande maioria, por milhares de fragmentos cerâmicos, desde a época medieval até ao período contemporâneo.
Além da intervenção arqueológica desenvolvida, a obra de requalificação do Castelo de Celorico da Beira, pautou-se pela demolição de algumas estruturas e pela implantação dos percursos pedonais que fazem parte deste projecto de requalificação.
No decorrer do ano de 2008 foram elaborados trabalhos relacionados com a iluminação interior e exterior do Castelo, procedendo-se igualmente aos trabalhos de requalificação da Torre de menagem.
No projecto de requalificação do Castelo de Celorico da Beira a ideia de preservar e proteger o monumento esteve na base da execução do projecto. Existiu desde o início uma enorme preocupação em preservar a traça original do Castelo.
Qualquer intervenção a realizar neste espaço, que tivesse por objectivo modificar profundamente o espaço, estaria a atentar contra a memória histórica deste espaço e a adulterar a relação estabelecida entre o castelo e a vila de Celorico da Beira ao longo dos séculos.
No exterior, a intervenção programada teve por objectivo a limpeza do pano de muralha do castelo e a sua iluminação nocturna.
No interior, a intervenção assentou na recuperação de todo o recinto interior do castelo, onde foram criados circuitos internos de visita, através da colocação de grelhas metálicas.
O objectivo destes circuitos será dar indicações aos visitantes de como a visita ao recinto se poderá processar. No entanto, o facto de o circuito não ser fechado, possibilita a animação dos visitantes por outras áreas do recinto. Estes circuitos serão complementados com painéis informativos com conteúdos relacionados com a história e lendas do castelo. O interior do recinto amuralhado contará ainda com um projecto de iluminação e irá permitir a visita ao local durante a noite. Esta área contará ainda com a construção de um anfiteatro ao ar livre com uma lotação de cerca de 120 pessoas. A criação deste espaço procura proporcionar condições para o desenrolar de diversas actividades e espectáculos ao ar livre dentro do monumento.
A segunda fase de intervenção no interior do Castelo teve como objectivo a recuperação da torre de Menagem do Castelo, um espaço que se encontrava completamente arruinado, sensivelmente há 30 anos, possuindo apenas as paredes exteriores.
O projecto previsto para o interior da torre, contou com a divisão interna da torre em quatro espaços distintos. Ao nível do piso térreo, onde assenta a estrutura metálica, dado o espaço ser constituído por um afloramento rochoso irregular, utilizaram-se placas de madeira para se poder proceder à regularização do terreno.
Numa segunda sala superior ao piso térreo, construiu-se uma sala de conferências, um pequeno auditório que poderá dar apoio a pequenos grupos de visitantes onde podem ser dadas pequenas sessões explicativas.
No piso ao nível da porta de entrada existirá um ponto de apoio turístico,  onde será possível ter acesso a informações sobre o castelo e o património de Celorico da Beira em geral. Juntamente com o posto de turismo, funcionará nessa sala uma exposição permanente com os materiais recolhidos nas intervenções arqueológicas realizadas no castelo.
Para a quarta e última sala, foi criado um espaço multimédia, onde os visitantes podem ainda contar com um arquivo histórico, visionário e miradouro virtual.
Pretende-se tornar este espaço dinâmico e com carácter pedagógico, sob uma plataforma tecnológica que possibilitará, de uma forma interactiva, realçar a importância do conhecimento da história, cultura e património, tendo como aglutinador o Virtual Sightseeing.
Este consiste num sistema de visualização moderno que utiliza o conceito dos miradouros ópticos tradicionais para apresentar informação virtual sobre a paisagem envolvente.
Outro dos complementos do sightseeing será o Livro Mágico, que alia tecnologia avançada com uma interface simples: ao movimentar a mão no ar o utilizador vira as páginas do ecrã. O Livro mágico surpreende e envolve os utilizadores das várias faixas etárias, sendo inovador, interactivo e de fácil actualização de conteúdos.

Inauguração da Pousada de Linhares da Beira

Teve lugar no dia 4 de Setembro, a Inauguração da Pousada de Linhares, a qual passou a ser explorada pela Fundação INATEL, no seguimento de um protocolo celebrado entre o Município e INATEL.

A nova unidade hoteleira de 4 estrela tem 4 pisos e está dotada de 26 quartos e 3 suites.
Esta Pousada encontra-se inserida na Aldeia Histórica de Linhares da Beira, desfrutando de esplêndidas e únicas vistas para a Serra da Estrela, constituindo uma mais valia para toda a região.

Na cerimónia de inauguração marcaram presença o Secretário de Estado da Segurança Social, Dr. Pedro Marques, O Presidente da Câmara Municipal, Eng. José Monteiro e o presidente da Fundação Inatel, Dr. Victor Ramalho, para além das diversas entidades locais e distritais.

Encontro de Coleccionadores de artigos cervejeiros e Mini Festival da Cerveja.

Decorreu em Celorico no fim-de-semana de 29 e 30 de Agosto um encontro de coleccionismo de artigos cervejeiros denominado“1º Encontro In Loco”.

Durante o fim-de-semana, diversos amantes do coleccionismo de artigos cervejeiros marcaram presença neste evento, onde tiveram oportunidade de serem realizadas trocas.
Em paralelo foi realizado um “Mini Festival da cerveja in loco”, onde os apreciadores de cerveja puderam degustar boa cerveja associada a diversas iguarias.

A animar o festival esteve o grupo de musica Celta “Celtibéria” e o DJ Sengal.

É de realçar o facto de este evento de coleccionismo ser o primeiro realizado no nosso país.

Passeio ao Santuário da Senhora da Lapa – Sernancelhe

O Município de Celorico da Beira, organizou no dia 9 de Setembro, através da Rede Social, um passeio ao Santuário da Senhora da Lapa.

O Município de Celorico da Beira, organizou no dia 9 de Setembro, no âmbito do Programa Rede Social de Celorico da Beira – “Instituições em Rede”- um Passeio ao Santuário da Nossa Senhora da Lapa – Sernancelhe para os idosos das Instituições Particulares de Solidariedade Social (IPSS) do Concelho.
O Programa teve uma Missa celebrada pelo Senhor Padre Martins, seguida de uma visita guiada e conto da  Lenda da Nª  Sra da Lapa. Chegou a hora do almoço e, os idosos foram encaminhados para um parque de merendas, onde foi servida a refeição oferecida pelo Município.
Por fim já no regresso os idosos circularam pelo espaço envolvente ao Santuário, onde compraram as suas lembranças.
Tratou-se de um dia de animação e convívio interinstitucional, tendo estado presentes cerca de 220 idosos.

III Encontro de Gerações

No âmbito da Rede Social, o Município de Celorico da Beira organizou o III ENCONTRO DE GERAÇÕES, tendo convidado todos os parceiros a participar com um Stand nos dias 2 e 3 de Outubro de 2009.

O objectivo deste encontro foi a partilha entre os utentes, Crianças e Idosos das IPSS do concelho, assim como dar também a conhecer à comunidade todo o trabalho e  actividades  feitas nas mesmas IPSS .
Participaram 22 IPSS do concelho e algumas entidades parceiras, Município de Celorico da Beira, Segurança Social e Centro de Saúde de Celorico da Beira.
O evento teve uma presença significativa de visitantes durante os dois dias, as actividades foram variadas, desde a participação activa das IPSS de Infância com Cantigas, Gerontomotricidade, assim como representações de Idosos, demonstração de actividades da região e  cantares.
Houve também a actuação de dois grupos de Música Popular do distrito da Guarda.  

Apuramento dos Resultados das Eleições Autárquicas

Apuramento dos Resultados das Eleições Autárquicas…

Descarregue o Edital de Apuramento Geral da Assembleia Municipal
Descarregue o Edital de Apuramento Geral da Câmara Municipal
Descarregue os Resultados para Eleição da Câmara Municipal
Descarregue os Resultados para Eleição da Assembleia Municipal
Descarregue os Resultados para Eleição das Assembleias de Freguesia
 

Turismo de Celorico da Beira afirma-se na BTL

Foi com enorme sucesso que o Município de Celorico da Beira, participou na Bolsa de Turismo de Lisboa, que teve lugar de 13 a 17 de Janeiro.

A participação do Município de Celorico da Beira, permitiu reforçar ainda mais a imagem do Concelho enquanto destino turístico de referência no sopé da Serra da Estrela e apresentar os diversos produtos e agentes turísticos locais, com especial realce para o turismo rural naquele que é o maior certame de turismo realizado em Portugal.
Ao longo dos cinco dias da Bolsa de Turismo de Lisboa, foram efectuados diversos contactos com agentes turisticos em geral com o intuito de divulgar as potencialidades turísticas do Concelho e os seus agentes locais.
A presença do Município de Celorico da Beira na Bolsa de Turismo de Lisboa provocou impacto pela qualidade e inovação, apesar de esta ter sido a primeira vez em que o mesmo esteve representado de forma autónoma, ou seja, com um stand próprio onde se deu a conhecer as potencialidades do Concelho de Celorico da Beira.
A participação na Bolsa de Turismo de Lisboa, permitiu ao Município de Celorico da Beira promover todo o património Cultural, assim como os produtos endógenos, com especial enfoque para o Queijo Serra da Estrela, tendo recolhido uma forte adesão e curiosidade por parte de todos os visitantes.
O reforço da imagem do Concelho de Celorico da Beira, enquanto destino turístico de excelência na Serra da Estrela foi um objectivo conseguido, para o qual muito contribuiu a forte imagem transmitida pelo stand promocional do Concelho de Celorico da Beira, onde existiu um especial destaque para a promoção do turismo rural de Celorico da Beira, assim como o Parapente, na medida em que este ano a Aldeia Histórica de Linhares da Beira acolherá a Taça do Mundo de Parapente.
Ladeado pelas áreas promocionais da Serra da Estrela, de Gouveia, Mangualde e localizado na entrada principal do pavilhão dois da FIL, a área de exposição do Turismo de Celorico da Beira evidenciou a Vila e o Concelho enquanto destino privilegiado de turismo cultural, de aventura e natureza.
A aposta numa imagem dinâmica e atractiva transmitiu sem dúvida, uma imagem inovadora, com forte ênfase na comunicação de um território com enorme riqueza cultural, patrimonial, ambiental e gastronómico.

GIP de Celorico da Beira

Gabinete de Inserção profissional de Celorico da Beira, funciona em pleno.

Com o objectivo de apoiar os desempregados locais, a Câmara Municipal de Celorico da Beira, procedeu a uma candidatura para a instalação de um Gabinete de Inserção Profissional.
O GIP tem como principais objectivos, apoiar jovens e adultos desempregados na definição ou desenvolvimento do seu percurso de inserção ou reinserção no mercado de trabalho, através da proximidade estrita com a nossa população.
Este gabinete que promove a Inserção profissional, tem como principais destinatários, jovens e adultos desempregados, à procura de novo emprego e/ou com necessidade de apoio à qualificação e ao empreendedorismo.
Desde a sua abertura (8 de Junho) até aos dias de hoje, já foram atendidas cerca de 400 pessoas, o que demonstra um enorme sucesso deste Gabinete, facto este a que se deve em muito ao factor de proximidade com a população do nosso Concelho, uma vez que evita deslocações a outros Concelhos, assim como a informação prestada pelos nossos serviços que chega mais rápido ao conhecimento dos utentes.
Refira-se ainda, que o GIP de Celorico da Beira funciona no edifício da Câmara Municipal de Celorico da Beira e funciona de segunda a quinta-feira das 9:00h às 12:30h e das 14h às 17:30h.

Feira do Queijo Serra da Estrela 2010

Feira do Queijo Serra da Estrela 2010 – Reportagem Fotográfica

Celorico da Beira comemorou em festa o Dia dos Avós

No passado dia 26 de Julho de 2009, Celorico da Beira comemorou o Dia dos Avós.Tratou-se de uma iniciativa que procurou trazer até à Vila de Celorico da Beira utentes das IPSS`s do Concelho.

Peça de Teatro “Deixemos o sexo em paz!”

No dia 21 de Janeiro decorreu, no Centro Cultural de Celorico da Beira, a representação da peça de teatro “Deixemos o Sexo em Paz”, encenada pela Companhia de Teatro Maria Paulos.

A peça é uma comédia, em forma de conferência, que analisa, utilizando um riso crítico e devastador, a falta de uma verdadeira educação sexual. A conferencista (Maria Paulos) dirige-se ao público, numa intervenção em que frequentemente interage com este, para falar, partindo de pequenos factos do dia-a-dia, de temas pertinentes.
Esta actividade foi organizada pela professora Paula Fonseca, Coordenadora do Projecto de Educação para a Saúde e Educação Sexual, tendo sido direccionada para os alunos do 8º, 9º anos e ensino secundário. No evento estiveram presentes o Presidente da Câmara Municipal de Celorico da Beira, a Representante dos Serviços de Psicologia do Agrupamento e ainda alguns docentes.
Todos os presentes elogiaram o espectáculo, comentando que é de todo o interesse o desenvolvimento de iniciativas deste género.
A organizadora agradeceu a presença de todos, enaltecendo o interesse demonstrado pelos alunos bem como toda a disponibilidade demonstrada pelo presidente da Câmara que de forma gentil cedeu o espaço para a realização do espectáculo.
 Imagem alusiva ao evento