Mesquitela

Freguesia de Mesquitela

População: 238

Dista da Sede de Concelho: 13 km

Área: 1549 ha

Festividades

Festa de S. António (2º Domingo de Junho)

Património

Infra-estruturas educativas
Escola Primária da Mesquitela
Escola Primária da Carvalheda

Infra-estruturas sociais desportivas e culturais
Liga dos Amigos da Mesquitela
Pavilhão de Futebol de Salão
Locais a visitar
Igreja Matriz
Ponte Romana
Penedo João Pires
Capela de S. João

Notas Históricas

Freguesia constituída pelos lugares de Mesquitela, Carvalheda, Mogadouro e Vale da Ribeira, Mesquitela é uma das freguesias que limita o concelho de Celorico da Beira, fazendo divisão com os concelhos de Fornos de Algodres e Gouveia.
Sendo a sua toponímia designatária de pequena Mesquita, templo religioso dos Muçulmanos, Mesquitela é tão antiga quanto o faz prever o seu nome.
Distando 13 km da sede de concelho, é servida pela estrada municipal 554, que liga Mesquitela às suas anexas e a outros lugares dos concelhos de Gouveia e Fornos de Algodres.
Antiga aldeia, Mesquitela foi elevada à categoria de condado por D. João IV, sendo em 1664 elevada a vila, perdendo a categoria pouco tempo depois, pertencendo esta freguesia ao extinto concelho de Linhares.
A ponte romanizada que permite a travessia para a outra margem da ribeira, tem duas eras, uma que data de 1771, gravada na pedra e outra, planta que ornamenta os arcos da ponte, cobrindo-a quase na totalidade.
Atravessada a dita ponte, deparamos à esquerda com a fonte de Stº. António, de abundantes águas frias que outrora era fonte de mergulho, e local de início de muito namoro!
Logo ali, a meia dúzia de passos, fica a capela de S. João, local de festa e romaria de gado.
Terra de pastores e de grandes rebanhos, é também terra de bom queijo da Serra da Estrela e de bom borrego.
A olivicultura e a batata são culturas que por aquelas terras se dão bastante bem, com fortes produções de batata de consumo e de excelente azeite.
A agricultura e a construção civil são as actividades que empregam a maior parte da população.

Lendas e Tradições

Janeiras

Ainda agora aqui cheguei
Já pus o pé na escada
Logo meu coração disse
Aqui mora gente honrada

Viva lá senhor (nome)
Mais os anos que deseja
Viva também uma rosa
Que levou à Igreja

Viva lá menina (nome)
Cabelinho ó desdem
Cabelinho como o seu
Só Nossa Senhora o tem

Viva lá menino (nome)
Raminho de salsa querer
Pegue nas chaves da adega
Venha-nos dar de beber

Viva lá menina (nome)
Raminho de salsa crua
Debaixo da sua cama
Põe-se o sol e nasce a lua

Boas Festas boas festas
Boas festas neste dia
Vimos dar as boas festas
Com prazer e alegria

Toponímia

Esta freguesia está á distância de 13 Km de Celorico e divide-se em três pequenos bairros: Freixoeiro, Cimo de Vila e Casal.
Vila Soeiro já lhe pertenceu,  e o Cadouço passou em 1898 a desligar-se, indo para Juncais. D. João IV deu-lhe foral em 1644.