IFFRU 2020

No âmbito do Portugal 2020, surgiu uma nova oportunidade para reabilitar e revitalizar os espaços construídos das cidades através do programa IFRRU 2020 – instrumento financeiro para a reabilitação e revitalização urbanas.

O IFRRU 2020 constitui um instrumento financeiro, que com condições mais favoráveis às existentes no mercado, financia operações de reabilitação integral de edifícios, que incluam soluções integradas de promoção de eficiência energética.

Qualquer entidade singular ou coletiva, pública ou privada, com ou sem fins lucrativos pode candidatar-se aos fundos do IFRRU 2020, que se constituem por fundos públicos – fundos europeus do Portugal 2020, e de outras entidades como o banco europeu de investimento e o banco de desenvolvimento do conselho da europa, conjugando-os com os fundos disponibilizados pelos bancos selecionados para a concessão destes empréstimos – Santander Totta, BPI, Millennium BCP e Banco Popular.
Os apoios concedidos são de carácter financeiro: empréstimos, com taxas bonificadas e garantias. Os projetos contemplam ainda outros benefícios fiscais decorrentes da lei, inerentes à localização e natureza dos mesmos, tais como: IMI, IMT e IVA.

Quanto a informação sobre os benefícios fiscais para projetos de reabilitação urbana concretizados em ARU, está disponível em: http://www.portaldahabitacao.pt/pt/portal/legislacao/beneficiosfiscais.html

São elegíveis todas as operações de reabilitação integral de edifícios, com idade igual ou superior a 30 anos ou, no caso de idade inferior, que demonstrem um nível de conservação igual ou inferior a 2, nos termos do decreto-lei nº 266-b/2012, de 31 de dezembro e ainda intervenções de reabilitação de espaços e unidades industriais abandonados, desde que inseridos em áreas de reabilitação urbana, delimitadas e aprovadas pelo município.

O processo de candidatura é simples e constitui-se por 3 passos:
– Parecer de enquadramento da operação, onde a camara municipal atesta a viabilidade da candidatura em razão da localização; O modelo de parecer de enquadramento está disponível em:
http://www.portaldahabitacao.pt/opencms/export/sites/portal/pt/portal/reabilitacao/ifrru/documentos/Protocolo-colaboracao-IFRRU-ANMP-ANEXOS-1-e-2.pdf

– Certificado energético, que deverá ser elaborado antes e depois da intervenção, para confirmar o contributo das intervenções no aumento do desempenho energético dos edifícios intervencionados;
– Pedido de financiamento, composto por todos os elementos instrutórios definidos, a realizar junto de um qualquer balcão da rede de bancos previamente selecionados.
Quanto ao empréstimo quadro do BEI que é uma linha de empréstimo que está a ser gerida pela Agência de Desenvolvimento e Coesão, consultar o link para mais informações: http://www.adcoesao.pt/content/emprestimo-quadro-do-bei-2014-2020

Com este programa, o Estado procura fomentar a sustentabilidade das cidades e promover a qualidade de vida dos seus habitantes, financiando operações que reabilitem os espaços construídos e revitalizem os tecidos sociais e económicos dos seus espaços centrais.
O folheto síntese que contextualiza bem o projeto está disponível aqui: http://www.portaldahabitacao.pt/pt/portal/reabilitacao/index.html

 

 

Celorico da Beira beneficia de CLDS 4G

O concelho de Celorico da Beira vai voltar a beneficiar do Programa de Contrato Local de Desenvolvimento Social, agora denominado de 4ª Geração (CLDS-4G), um instrumento de intervenção ao nível das problemáticas do desemprego, da pobreza, envelhecimento e exclusão social.

A manifestação de interesse do município em aderir ao CLDS 4G foi aprovada na última reunião do executivo e já foi comunicada ao Instituto da Segurança Social, em resposta ao convite endereçado no passado dia 8 de janeiro, que permitirá desenvolver trabalho essencial na área social.
O Município de Celorico da Beira acolhe o regresso do Programa CLDS para o concelho com satisfação, uma vez que o considera um importante instrumento não só de combate à pobreza e exclusão social, mas, também, de lançamento de novas políticas sociais, de empregabilidade, na coesão social e, principalmente, como um investimento capaz de produzir efeitos sustentáveis na comunidade.
O montante de financiamento do CLDS 4G atribuído ao concelho de Celorico da Beira é de 486 mil euros e irá incidir sobre 4 eixos: emprego, formação e qualificação; intervenção familiar e parental, preventiva da pobreza; promoção do envelhecimento ativo e apoio à população idosa; e auxílio e intervenção emergencial às populações inseridas nos territórios afetados pelos incêndios de outubro de 2017.
O CLDS 4 G terá a duração de 36 meses de intervenção e terá como entidade coordenadora a Associação Lageosense de Solidariedade Social.

PEQUENOS GESTOS, mais cidadania

A Câmara Municipal de Celorico da Beira tem contribuído com “Pequenos Gestos” para melhorar a qualidade de vida dos munícipes. Trata-se de divulgar um conjunto de intervenções e pequenas obras que foram sendo realizadas ao longo do ano, que tiveram como objetivo garantir a mobilidade de pessoas portadoras de deficiência ou pessoas que de alguma forma estão condicionadas na mobilidade: estamos a trabalhar para eliminar gradualmente os obstáculos das vias pedonais construindo rampas de acesso, melhorando as condições de acesso a edifícios públicos e deste modo contribuir para a melhoria da mobilidade e segurança de todos os cidadãos.
Queremos realizar políticas públicas mais eficientes, e estes “pequenos gestos” já fazem a diferença!

Natal Verde 2018

Empenhado em promover um Natal Verde, o Município de Celorico da Beira realizou uma decoração predominantemente ecológica nos Paços do Município e no edifício de apoio, como forma de incentivar a população a adotar comportamentos pró-ambientalistas, mais protetores da mãe natureza.
Desafia-se a população a fazer desta quadra festiva um marco, uma viragem, o despontar de um homem diferente, defensor e protetor do ambiente, um eco cidadão, promovendo um Natal mais ecológico, mais amigo do ambiente, onde o desperdício e despesismo, darão lugar à moderação, à poupança, à valorização do biológico, do local, regional ou nacional.
Neste sentido, cada um pode contribuir para a sustentabilidade do planeta recorrendo a elementos da natureza para a decoração das casas, da mesa e da árvore de Natal; na iluminação deve utilizar lâmpadas de baixo consumo (LED) e, desligá-las quando vai para a cama ou quando saí das divisões; o óleo alimentar usado dos fritos deve ser colocado no oleão e não despejado na pia; por último, poderá poupar dinheiro e papel, reduzindo o abate de árvores, enviando postais de natal e-cards em alternativa aos tradicionais postais de Boas Festas.
Caracterizando-se esta quadra festiva por um consumo agigantado com a consequente enorme produção de lixo, é imperioso que cada um assuma a responsabilidade, o compromisso de pensar e agir verde, colocando separadamente o lixo no ecoponto, a fim do mesmo ser recuperado, reaproveitado, revalorizado e reciclado.
Mudar comportamentos e atitudes, não é tarefa fácil e, a proteção do ambiente tem que ser uma preocupação diária, sob pena de se comprometer a sustentabilidade do planeta e, consequentemente, o futuro da humanidade.
Pense nisto!

Candidatura ao Fundo Florestal Permanente – Maio 2018 – Faixas de interrupção de combustíveis – prevenção de fogos florestais – Áreas prioritárias

O Municipio de Celorico da Beira apresentou uma candidatura ao Fundo Florestal permanente no âmbito da Defesa da Floresta contra Incêndios que contempla a abertura de 27,61 Km de Faixa de Interrupção de Combustível, em áreas não prioritárias, num montante total de 34.690,62€.

As intervenções propostas visam dar cumprimento ao Plano Municipal de Defesa da Floresta Contra Incêndios deste município, e têm por objetivo o desenvolvimento de ações de prevenção estrutural, que promovam a abertura de FIC através da remoção total do combustível vegetal e desta forma contribuir para a eficácia da rede primária de defesa da floresta contra incêndios, que tem como objetivo último a defesa de pessoas e bens e do espaço florestal.

A data de início da candidatura foi a 02/05/2018 e terá de estar concluída até 30-11-2018.

Candidatura ao Fundo Florestal Permanente – Abril 2018 – Faixas de interrupção de combustíveis – prevenção de fogos florestais – Áreas prioritárias

O Municipio de Celorico da Beira apresentou uma candidatura ao Fundo Florestal permanente no âmbito da Defesa da Floresta contra Incêndios que contempla a abertura de 14,30 Km de Faixas de Interrupção de Combustível e a Beneficiação de 2,41 Km de Faixa de Interrupção de Combustível, num montante total de 13.580,19€.
As intervenções propostas visam dar cumprimento ao Plano Municipal de Defesa da Floresta Contra Incêndios deste município, e têm por objetivo o desenvolvimento de ações de prevenção estrutural, que promovam a abertura de FIC através da remoção total do combustível vegetal e desta forma contribuir para a eficácia da rede primária de defesa da floresta contra incêndios, que tem como objetivo último a defesa de pessoas e bens e do espaço florestal.
A data de início da candidatura foi a 02/04/2018 e terá de estar concluída até 31-12-2018.

 

O Banco Alimentar Contra a Fome | Campanha Natal 2018

O Banco Alimentar Contra a Fome (Cova da Beira), vai levar a efeito, em parceria com a Associação de Pais de Celorico da Beira e o Município de Celorico da Beira, a Campanha de Natal 2018, nos próximos dias 1 e 2 de dezembro.
A ação consiste na recolha de alimentos, durante este fim-de-semana, nas superfícies comerciais do Intermarché e Minipreço.
Por que Natal é amor, fraternidade, solidariedade e partilha, a participação de cada um, mesmo que simbólica, é importante e aos olhos de quem precisa faz toda a diferença.
Seja solidário/a.

Mais três Estações de Tratamento de Águas Residuais (ETAR), adjudicadas no Município de Celorico da Beira.

O Município de Celorico da Beira viu aprovadas 12 candidaturas ao Programa Operacional da Sustentabilidade e Eficiência no Uso dos Recursos (Portugal 2020), para a construção de Estações de Tratamento de Águas Residuais (ETAR’s), estando neste momento adjudicadas mais três…

O Município de Celorico da Beira viu aprovadas 12 candidaturas ao Programa Operacional da Sustentabilidade e Eficiência no Uso dos Recursos (Portugal 2020), para a construção de Estações de Tratamento de Águas Residuais (ETAR’s), estando neste momento adjudicadas mais três, a construir nas localidades de Velosa (União de freguesias de Açores e Velosa) e Vide –  Entre – Vinhas (União de freguesias de Cortiçô da Serra, Vide – Entre – Vinhas e Salgueirais), e na freguesia de Linhares da Beira.

A construção destas infraestruturas visa aumentar a salubridade, reduzindo a poluição urbana nas massas de águas circundantes, nomeadamente no rio Mondego, dotando simultaneamente a população das localidades abrangidas, de melhores serviços de saneamento de águas residuais. Estes projetos serão cofinanciados pelo Programa Operacional da Sustentabilidade e Eficiência no Uso dos Recursos (POSEUR), com os seguintes investimentos elegíveis:

• Linhares
Investimento Elegível – 51 408,60€
Financiamento Fundo de Coesão – 43 697,31€

• Vide- Entre- Vinhas II
Investimento Elegível – 46 846,03€
Financiamento Fundo de Coesão – 39 819,13€

• Velosa
Investimento Elegível – 67 100, 48€
Financiamento Fundo de Coesão – 57 035,41€

A substituição das atuais fossas sépticas, ineficientes no tratamento das águas residuais e nocivas para a população e o meio ambiente devido à produção de gases e odores desagradáveis, situações que têm suscitado grande descontentamento da população, por ETAR’S compactas, mais eficazes e eficientes no tratamento dos efluentes, insere-se na estratégia de promoção de políticas ambientalistas, há muito encetadas pelo Município, com vista à melhoria das condições de vida das populações e do meio ambiente.

Estações de Tratamento de Águas Residuais no concelho de Celorico da Beira

Mais seis Estações de Tratamento de Águas Residuais (ETAR), adjudicadas no Município de Celorico da Beira.

O Município de Celorico da Beira viu aprovadas 12 candidaturas ao Programa Operacional da Sustentabilidade e Eficiência no Uso dos Recursos (Portugal 2020), para a construção de Estações de Tratamento de Águas Residuais (ETAR’s), estando neste momento já adjudicadas seis, a construir nas localidades de Açores e Aldeia Rica – União de freguesias de Açores e Velosa – freguesia de Baraçal, Salgueirais – União de freguesias de Cortiçô da Serra, Vide – Entre – Vinhas e Salgueirais – e, freguesia de Maçal do Chão.

A construção destas infraestruturas visa aumentar a salubridade, reduzindo a poluição urbana nas massas de águas circundantes, nomeadamente no rio Mondego, dotando simultaneamente a população das localidades abrangidas, de melhores serviços de saneamento de águas residuais. Estes projetos serão cofinanciados pelo Programa Operacional da Sustentabilidade e Eficiência no Uso dos Recursos (POSEUR), com os seguintes investimentos elegíveis:

• Açores
Investimento Elegível – 54 852,35€
Financiamento Fundo de Coesão – 46 624,50€

• Aldeia Rica I
Investimento Elegível -38 305,15€
Financiamento Fundo de Coesão – 32 559,38€

• Aldeia Rica II
Investimento Elegível – 38 305,15€
Financiamento Fundo de Coesão – 32 559,38€

• Baraçal
Investimento Elegível – 70 133,39€
Financiamento Fundo de Coesão – 59 072,78€

• Maçal do Chão
Investimento Elegível – 47 471,43€
Financiamento Fundo de Coesão – 39 810,12€

• Salgueirais I
Investimento Elegível – 38 305,15€
Financiamento Fundo de Coesão – 32 559,38€

A substituição das atuais fossas sépticas, ineficientes no tratamento das águas residuais e nocivas para a população e o meio ambiente devido à produção de gases e odores desagradáveis, situações que têm suscitado grande descontentamento da população, por ETAR’S compactas, mais eficazes e eficientes no tratamento dos efluentes, insere-se na estratégia de promoção de políticas ambientalistas, há muito encetadas pelo Município, com vista à melhoria das condições de vida das populações e do meio ambiente.

A CPCJ e a Biblioteca Municipal de Celorico da Beira comemoraram em conjunto o Dia do Abraço, no dia 24 de maio.

As comemorações dos Dias do Abraço e da Família constituem o culminar da ação de sensibilização/reflexão sobre a temática dos afetos e dos maus tratos na infância e juventude, que ocorre durante o mês de abril.

A teatralização do livro “Quero um abraço” de Simona Ciraolo, foi o mote para sensibilizar as crianças do pré-escolar público e privado do concelho, sobre a importância dos afetos como o amor, o carinho, a amizade e a atenção, na vida de pequenos e graúdos.
A contadora de histórias, Verónica González, recorreu a diversas formas animadas e outros recursos do mundo das histórias, para prender e envolver as crianças com a história de Filipe, um pequeno cato, que apesar de pertencer a uma família numerosa, sofria de carências afetivas, levando-as a descobrir a importância, a força e o poder de um simples abraço.
A sociedade atual vive em contra relógio. Não há tempo para as coisas mais simples e comezinhas como cultivar os afetos, dedicar tempo e atenção a quem se ama. A criação do Dia Internacional da Família (15 de maio), e do Dia do Abraço ( 22 de maio), visa levar a sociedade a refletir sobre a importância da estrutura familiar, do poder dos afetos em especial, do ato de abraçar que, para além de estreitar a proximidade entre as pessoas, traz grandes benefícios para a saúde, reduzindo a tristeza, a tensão arterial, a ansiedade e, aumentando o bem-estar, a calma e o conforto.

Abertura de Candidaturas à Linha de Apoio à Valorização Turística do Interior

O Valorizar – Programa de Apoio à Valorização e Qualificação do Destino, regulamentado através do Despacho normativo n.º 9/2016, é um programa de apoio ao investimento na qualificação do destino turístico Portugal.
Este Programa define os termos e condições de concessão de apoios financeiros a projetos de investimento e a iniciativas que tenham em vista a regeneração e reabilitação dos espaços públicos com interesse para o turismo, a valorização turística do património cultural e natural do país, promovendo condições para a desconcentração da procura, a redução da sazonalidade e a criação de valor.
Com este programa de apoio ao investimento na valorização de Portugal, enquanto destino turístico, pretende-se dotar os agentes, públicos e privados, da área do turismo de um novo instrumento financeiro que crie condições para potenciar e melhorar a experiência turística.
Os projetos e iniciativas suscetíveis de apoio são definidos em linhas de financiamento específicas.
Neste momento, encontram-se disponíveis as linhas de apoio:
– Linha de Apoio à Valorização Turística do Interior – Nova
– Linha de Apoio ao Turismo  Acessível
– Linha de Apoio a Projetos Wifi em Centros Históricos
Para mais informações – clique aqui!

Tomada de posse dos órgãos autárquicos para o quadriénio 2017 – 2021

Decorreu esta manhã a tomada de posse dos órgãos do Município de Celorico da Beira (Câmara Municipal e Assembleia Municipal), eleitos para o quadriénio 2017/2021, em ato público que teve lugar no Salão Nobre dos Paços do Concelho de Celorico da Beira.

A Presidente Assembleia Municipal cessante, Ana Isabel Janelas, fez um voto de pesar pelas vítimas dos incêndios, a que se seguiu um minuto de silêncio.

O Presidente da Câmara Municipal Carlos Ascensão, no seu discurso proferiu que é com imenso orgulho que recebe esta nova missão, mas, com sentido de uma enorme responsabilidade, propondo-se dignificar as funções de Presidente da Câmara Municipal de Celorico da Beira, cargo para o qual foi eleito pelo povo do Concelho, referindo que o poder local tem uma responsabilidade acrescida no que concerne à gestão dos dinheiros públicos, pois os autarcas estão próximos na relação com os cidadãos.

Disse ainda que pretende manter o que está bem e melhorar o que for necessário, pretendendo ainda aumentar a eficiência da gestão da Câmara Municipal de Celorico da Beira, procurando escutar a todos sem exceção, tendo sempre como preocupação as pessoas e o funcionamento dos Serviços Municipais, gerindo as contas publicas com rigor, tendo como finalidade melhorar a qualidade de vida de todos os Celoricenses, contando para isso com a ajuda de todos.

Para o edil, com este novo ciclo iniciado, inicia-se também um novo ciclo de evolução económica e social no Concelho, assunto que o Presidente da Câmara (re)assumiu sob compromisso de honra para com todos os Celoricenses.

O presidente eleito também não quis terminar sem deixar uma palavra de gratidão para com todos os Bombeiros que combateram as chamas nos incêndios que infelizmente tiraram as vidas a mais de uma centena de pessoas.

O Executivo da Câmara Municipal de Celorico da Beira, é presidido pelo Dr. Carlos Ascensão (PSD), e pelos vereadores Dr. António Graça Silva (PSD), Dr. José Albano Marques e Dr. Bruno Almeida (PS), bem como por Dr. Júlio Santos (Independente).

Após a instalação da Assembleia Municipal teve lugar a primeira sessão do órgão, que procedeu à eleição da Mesa, tendo sido apresentadas duas listas a sufrágio e depois de colocada a votação, a Mesa da Assembleia Municipal de Celorico da Beira para o próximo quadriénio é composta da seguinte forma: Presidente: Denise Nascimento Fragona, 1ª Secretária, Maria Antónia Lucas da Silva Rodrigues e 2º Secretário Miguel Espirito Santo.

O concelho de Celorico da Beira tem 2 Aldeias candidatas às 7 maravilhas de Portugal.

Prados e Linhares da Beira são as 2 aldeias Candidatas às 7 maravilhas de Portugal.

A aldeia de Prados situa-se num pequeno vale interior em pleno Parque Natural da Serra da Estrela. A sua toponímia deriva dos verdes campos que rodeiam a freguesia, onde há séculos as suas populações se dedicam à prática da agricultura e pastorícia, nomeadamente, à produção do famoso Queijo Serra da Estrela, Borrego Serra da Estrela e outros produtos endógenos como a Castanha, produto ao qual é dedicada a realização de um evento anual.

Com uma cultura que assenta nas atividades rurais, Prados é hoje uma terra rica em tradições. Deste modo, em 2008 criou-se a Casa do Mundo Rural de Prados, um pequeno espaço museológico que procura retratar o modus vivendi desta população serrana, preservando a identidade de um povo que soube estabelecer uma simbiose entre o meio natural e a paisagem antrópica moldada pela necessidade de subsistência.

Linhares da Beira

Classificada como conjunto de Interesse Público, Linhares da Beira é uma das aldeias históricas de Portugal, situada na vertente noroeste do Parque Natural da Serra da Estrela.
Em 1169, é-lhe atribuída Carta de Foral pelo Rei D. Afonso Henriques, com o objetivo de promover o povoamento e a defesa deste território. A génese do povoamento de Linhares está intrinsecamente associada à sua função bélica, nomeadamente, ao seu Castelo de traça românico-gótico, formado por dois recintos amuralhados onde sobressaem as suas duas torres.
Igualmente de fundação medieval são as suas duas Igrejas, cujas portas laterias mantêm a traça românica. Quanto ao seu interior destacam-se os altares em talha dourada mas, sobretudo, as pinturas quinhentistas atribuídas à Escola de Grão Vasco.

Linhares da Beira é um Museu ao ar livre, onde a história aliada ao património construído impera, mas apresenta traços de contemporaneidade que lhe são atribuídos pela prática desportiva do Parapente.

Estas duas Aldeias integram um conjunto de 332 onde um painel de especialistas vai selecionar as 49 aldeias que poderão ser votadas pelo público a partir do dia 3 de julho para integrarem o grupo das 7 Maravilhas de Portugal.

Biblioteca Municipal de Celorico da Beira

A abertura da Biblioteca Municipal de Celorico da Beira é um marco importante para o desenvolvimento cultural de Celorico da Beira e do seu concelho.
Desde o inicio do mês, que o Concelho de Celorico da Beira tem um novo e moderno equipamento ao serviço da Cultura.

A inauguração da Biblioteca Municipal, contou com a presença da Presidente da CCDRCENTRO Professora Doutora Ana Abrunhosa!
A Biblioteca tem como finalidade facilitar o acesso à informação, cultura, educação e lazer, regendo-se pelos princípios expressos no manifesto da UNESCO sobre Bibliotecas Públicas.

A Biblioteca Municipal de Celorico da Beira, proporciona o livre acesso à educação, à cultura e à informação a todos os utilizadores, facilitar o acesso da população ao uso de equipamentos de tecnologias de informação e comunicação, à consulta/leitura de livros, periódicos, organizando-os e disponibilizando-os, contribuindo, deste modo, para um elevado nível cultural e social dos cidadãos, facilita o acesso aos diversos suportes de informação (impressos, audiovisuais, multimédia e eletrónicos), através da consulta local ou do empréstimo domiciliário, fornece documentação relativa aos vários domínios da atividade, de que todo o cidadão e os diferentes grupos sociais necessitam no seu quotidiano.

Instalada em modernas instalações, num edifício desenhado e construído especificamente para este fim, a Biblioteca Municipal de Celorico da Beira oferece aos seus utilizadores uma sala de leitura para adultos, uma sala infanto-juvenil com um espaço apropriado à hora do conto, projeção de filmes ou outras atividades com crianças, cafetaria com terraço/esplanada e um auditório com 50 lugares.
As salas estão equipadas com computadores com acesso à internet para uso dos utilizadores.
Possui ainda um jardim no espaço envolvente, sendo de destacar a magnifica paisagem que de todo o conjunto se avista, dada a sua excelente localização.
O espólio bibliográfico conta com cerca de 12 000 publicações, distribuídas pelas diversas áreas do conhecimento.
Possui ainda um espaço para publicações periódicas, que disponibiliza para consulta aos leitores, diversos jornais e revistas.
É de salientar a centralidade deste equipamento, pois está junto à Escola Secundária EB 2, 3 Sacadura Cabral, Pavilhão Gimnodesportivo, Piscinas Municipais, Parque geriátrico e Parque Infantil.

Ação Estratégia de eficiencia coletiva

A Associação das Aldeias Históricas de Portugal e a ADRUSE realizou uma ação de esclarecimento que visou enquadrar a Estratégia de Eficiência Coletiva – Aldeias Históricas de Portugal 2020 no quadro das estratégias territoriais …

A Associação das Aldeias Históricas de Portugal e a ADRUSE – Associação de Desenvolvimento da Serra da Estrela em parceria com o Município de Celorico da Beira, realizou uma ação de esclarecimento que visou enquadrar a Estratégia de Eficiência Coletiva – Aldeias Históricas de Portugal 2020 no quadro das estratégias territoriais, com particular destaque para as Estratégias para o Desenvolvimento Local de Base Comunitária (DLBC’s), promovidas pelos GAL’s.
O objetivo primordial desta sessão, que decorreu nas instalações da Biblioteca Municipal de Celorico da Beira , assenta na identificação de intenções de investimento privado previstas no concelho de Celorico da Beira, que sejam passíveis de enquadramento na Estratégia de Eficiência Coletiva – Aldeias Históricas de Portugal.
Na sessão que contou com cerca de 50 participantes, marcou ainda presença o Vice-Presidente da Câmara Municipal de Celorico da Beira Dr. José Luís Cabral e técnicos da Associação das Aldeias Históricas de Portugal, assim como a coordenadora Técnica da ADRUSE Drª Carmo Ambrósio.
 

Uma década pela igualdade e contra a violência de género

Lançamento de Livro: “Uma década pela igualdade e contra a violência de género”, pela Professora Antonieta Garcia, onde marcou presença a autora Elza Pais, o Vice Presidente da Câmara de Celorico da Beira, o Deputado Santinho Pacheco, entre muitos que não quiseram deixar de se associar a mais um momento Cultural no Nosso Concelho e que utilizou as modernas instalações da Biblioteca Municipal!

– “Uma década pela igualdade e contra a violência de género – fragmentos do Discurso Político 2005-2015” titula do mais recente livro de Elza Pais, com prefácio de Maria Antónia Palla, Este, que é o seu terceiro livro, reúne um colectânea de textos seleccionados dum vasto arquivo de discursos políticos e de intervenções públicas em defesa da Cidadania, Igualdade e Não Discriminação que demarcam, orientam e situam Elza Pais na sua intervenção cívica relata o momento em que as Mulheres que rasgaram os caminhos que hoje percorremos; por uma sociedade mais Igual; aprendizagem de cidadania e liberdade; inventar uma nova civilização; a Igualdade neste milénio; violência de género; sexo, saúde e género; Igualdade e luta contra a homofobia; empreendedorismo feminino; ciência, arte e género são as temáticas que norteiam os textos.

“O homicídio conjugal em Portugal – Rupturas Violentas da Conjugalidade” (2010) e “Violência Contra as Mulheres” (2007) em que foi co-autora, são as suas outras obras publicadas de referência para observação desta temática em Portugal.
Elza Pais, socióloga de formação, conjuga a sua atividade de investigadora no Centro de Estudos de Sociologia (CESNova) da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa e no Centro de Investigação em Direito Penal e Ciências Criminais do Instituto de Direito Penal e Ciências Criminais (CIDPCC), com a carreira política.
Na política exerceu o mandato de Deputada à Assembleia da República na XII Legislatura pelo grupo parlamentar do PS, onde presidiu à Subcomissão da Igualdade da Comissão de Assuntos Constitucionais, Direitos, Liberdades e Garantias. Foi Relatora da Ciência, na Comissão de Educação, Ciência e Cultura, e Coordenadora do Grupo de Trabalho para a “Droga e Toxicodependência” na Comissão de Saúde. Foi membro da Assembleia Parlamentar da CPLP. Foi Secretária de Estado da Igualdade no XVIII Governo Constitucional.

Anteriormente desempenhou as funções de Presidente da Comissão para a Cidadania e Igualdade de Género (CIG) e Coordenadora da Estrutura de Missão contra a Violência Doméstica. Coordenadora do Ano Europeu da Igualdade de Oportunidades para Todos, em 2007. Foi Presidente do Instituto Português da Droga e da Toxicodependência e Alta Comissária do Projeto Vida. É membro de diversos organismos nacionais e internacionais na área da Igualdade de Género e Não Discriminação.

Requalificação da Praça da República – CANDIDATURA N.º CENTRO-07-2316-FEDER-000034

Nos últimos anos, o Município de Celorico da Beira tem vindo a desenvolver intervenções, no sentido da qualificação e revitalização urbana.

Apesar dos investimentos realizados nos últimos anos no centro histórico e centro urbano da vila, numa perspetiva de reabilitação urbanística e ambiental, do edificado e das infraestruturas e equipamentos, a vila debate-se com a necessidade contínua de dinamizar o espaço urbano e de lazer que, acompanhado do abandono e progressivo envelhecimento populacional, se tem traduzido numa perda da dinâmica populacional, económica e social.
É neste enquadramento que surge a Requalificação da Praça da República, que, conjuntamente com outras operações previstas no Plano de Ação para a Regeneração Urbana (PARU) de Celorico da Beira, visa dar uma nova vida, uma nova imagem, mais atrativa, mais dinâmica e mais competitiva, ao Centro Histórico e Urbano de Celorico da Beira.
A Requalificação da Praça da República é uma operação com financiamento do Programa Operacional Regional do Centro (CENTRO 2020), no domínio da Sustentabilidade e Eficiência no Uso dos Recursos (RESEUR), no Âmbito do Aviso de Concurso n.º CENTRO-16-2016-03, na Prioridade de Investimento (PI) 6.5 (6e) “Adoção de medidas destinadas a melhorar o ambiente urbano, a revitalizar as cidades, recuperar e descontaminar zonas industriais abandonadas, incluindo zonas de reconversão, a reduzir a poluição do ar e a promover medidas de redução de ruído”, cujo foco central é a melhoria do ambiente urbano.
Esta operação apresenta um Investimento elegível de 73.000,00€ e uma comparticipação FEDER de 62.050,00€, e prende-se com a necessidade premente de intervir ao nível de um espaço público fragilizado/ em degradação, designadamente um Largo e arruamentos confinantes com pavimento em betuminoso (altamente poluente) em elevado mau estado de conservação, sendo um espaço utilizado pela população em geral, visto encontrar na sua envolvente, o Tribunal/ Conservatória do Registo Predial, bem como um número considerável de edifícios de habitação e serviços e comércio.
A Requalificação da Praça da República, enquanto enquadrada no PARU de Celorico da Beira, tem como objetivos estratégicos:
• Adaptar o espaço público às condições de mobilidade e acessibilidade urbana (com renovação do pavimento, criação e redefinição de passeios) e criação de acessibilidades aos edifícios onde funcionam serviços de interesse geral da população, designadamente rampas de acesso ao Tribunal Judicial e Conservatória do Registo Predial;
• Promover a qualificação pedonal;
• Contribuir para a revitalização socioeconómica de um espaço urbano degradado/fragilizado;
• Promover o equilíbrio e a continuidade funcional entre a área que se propõe reabilitar e a sua envolvente;
• Qualificar e diversificar o comércio local;
• Melhorar a qualidade de vida das populações;
• Requalificar o espaço público ao nível paisagístico, de mobiliário urbano e de iluminação pública, reforçando a sua atratividade e a sua visibilidade ambiental;
• Promover a Praça da República e zona envolvente, como “porta de acesso” para o Centro Histórico de Celorico da Beira.
Com a Requalificação da Praça da República, a Câmara Municipal pretende requalificar os arruamentos e espaço público, com aplicação de novo pavimento em todo o largo, bem como a substituição/ construção de passeios, melhoria das infraestruturas, tratamento dos espaços verdes e ainda criação de acessibilidades para pessoas com mobilidade condicionada.
Pretende-se criar uma relação de equilíbrio entre a funcionalidade dos espaços urbanos e as condições de vida da população, assumindo a reabilitação urbana como um dos instrumentos de desenvolvimento e de melhoria das condições de vida, mas também da capacidade de atração do território de Celorico da Beira.
Em suma, com esta intervenção de requalificação urbana, contemplada no PARU de Celorico da Beira, pretende-se criar um espaço agradável e atrativo, de forma a dotar esta área (Praça da República) de um espaço público qualificado, com arruamentos, passeios e infraestruturas adequadas, contribuindo para uma melhoria significativa da mobilidade urbana e do ambiente urbano da Praça da República, não só a nível urbanístico, mas também ambiental e paisagístico.

Descarregue aqui o projeto

Caminhada – Passadiços do Paiva

O Município de Celorico da Beira promoveu uma caminhada especial (Caminhada pelos “Passadiços do Paiva” em Arouca) para todos os caminheiros mais assíduos do Passaporte por Vales e Serra 2015.
A II Edição Passaporte, Caminhadas por Vales e Serras 2016, contemplou os caminhantes que cumpriram 80% das caminhadas referentes ao ano 2015, podendo usufruir de uma caminhada surpresa aos Passadiços do Paiva em Arouca.
A aposta do Município na promoção de estilos de vida saudáveis tem sido uma constante e a adesão cada vez maior. Lança-se o desafio, para que todos possam aderir e no final do ano haverá mais uma surpresa!

Município de Celorico da Beira entrega equipamento de proteção individual a funcionários da Câmara Municipal.

Numa ótica de manter a Segurança e Higiene no trabalho, o Município de Celorico da Beira entregou a todos os funcionários com competências em serviços externos, nomeadamente no que concerne a obras, manutenção de vias e jardinagem, equipamento para proteção individual.
Para além de um imperativo legal, a atribuição do equipamento de proteção individual representa por si só um olhar atento por parte do Executivo Municipal para o bem estar de todos os funcionários nas suas funções que lhes são confiadas.