Pintura, Poesia e Lusofonia em Celorico da Beira

Município de Celorico da Beira realizou um evento dedicado à Pintura, Poesia e Lusofonia…

Município de Celorico da Beira realizou um evento dedicado à Pintura, Poesia e Lusofonia.
Na passada sexta-feira, dia 12 de Março, realizou-se em Celorico da Beira um evento dedicado à pintura, poesia e lusofonia, que pretendeu dar a conhecer as várias componentes em termos de comunicação que a pintura e poesia têm num contexto de lusofonia.
Para o efeito, realizou-se um colóquio sob o mote “A Pintura como linguagem na comunicação e intercâmbio entre povos e países”, tendo como principal interveniente Bé Cabrita, pintora, retratista e caricaturista.
A “Portugalidade, Lusofonia e Globalização”, foi uma temática abordada por Joaquim Evónio, Escritor e representante em Portugal da Ordem Nacional dos Escritores do Brasil.
Encerrou a sessão o Presidente da Ordem Nacional de Escritores do Brasil, José Verdasca dos Santos, o qual dissertou sobre Celorico da Beira:
“O exemplo de Celorico da Beira é bem elucidativo; terra mãe do Queijo Serra da Estrela (e dos poucos lugares onde ainda se produz artesanalmente); antiquíssima e belíssima vila medieval com seu altaneiro castelo; seu centro histórico de lindas edificações em granito bem conservadas; gente acolhedora e hospitaleira, que nos oferece boa hospedagem e rica culinária, ambas a preços convidativos (boas refeições a 7 euros e alojamento a 30); paisagens deslumbrantes e património histórico digno de ser visitado; e, por fim, autarcas interessados pela cultura e pelo prestígio de sua terra, Celorico à margem do Rio Mondego, e perto de sua nascente, bem merece uma visita, que não deve ficar pelos dois dias, mas antes prolongar-se por uma semana, para dali fazer a base de digressões a cidades muito próximas, como Trancoso (terra do famoso Bandarra), à Guarda, com sua bela catedral fortaleza; ao alto da Serra da estrela; a Pinhel, terra de bons vinhos; a Almeida, vila fortaleza e antiga guarda de fronteira, e todas (e muitas mais), a duas ou três dezenas de quilómetros de Celorico, e a ela ligadas por excelentes rodovias, servidas por restaurantes de grande qualidade e melhor preço, onde somos atendidos por pessoas prestativas e correctas, que jamais se tentem aproveitar do turista para abusar dos justos preços que normalmente praticam”.
Pela noite, realizou-se um sarau poético na Torre do Castelo de Celorico da Beira.