Estações de Tratamento de Águas Residuais no concelho de Celorico da Beira

Mais seis Estações de Tratamento de Águas Residuais (ETAR), adjudicadas no Município de Celorico da Beira.

O Município de Celorico da Beira viu aprovadas 12 candidaturas ao Programa Operacional da Sustentabilidade e Eficiência no Uso dos Recursos (Portugal 2020), para a construção de Estações de Tratamento de Águas Residuais (ETAR’s), estando neste momento já adjudicadas seis, a construir nas localidades de Açores e Aldeia Rica – União de freguesias de Açores e Velosa – freguesia de Baraçal, Salgueirais – União de freguesias de Cortiçô da Serra, Vide – Entre – Vinhas e Salgueirais – e, freguesia de Maçal do Chão.

A construção destas infraestruturas visa aumentar a salubridade, reduzindo a poluição urbana nas massas de águas circundantes, nomeadamente no rio Mondego, dotando simultaneamente a população das localidades abrangidas, de melhores serviços de saneamento de águas residuais. Estes projetos serão cofinanciados pelo Programa Operacional da Sustentabilidade e Eficiência no Uso dos Recursos (POSEUR), com os seguintes investimentos elegíveis:

• Açores
Investimento Elegível – 54 852,35€
Financiamento Fundo de Coesão – 46 624,50€

• Aldeia Rica I
Investimento Elegível -38 305,15€
Financiamento Fundo de Coesão – 32 559,38€

• Aldeia Rica II
Investimento Elegível – 38 305,15€
Financiamento Fundo de Coesão – 32 559,38€

• Baraçal
Investimento Elegível – 70 133,39€
Financiamento Fundo de Coesão – 59 072,78€

• Maçal do Chão
Investimento Elegível – 47 471,43€
Financiamento Fundo de Coesão – 39 810,12€

• Salgueirais I
Investimento Elegível – 38 305,15€
Financiamento Fundo de Coesão – 32 559,38€

A substituição das atuais fossas sépticas, ineficientes no tratamento das águas residuais e nocivas para a população e o meio ambiente devido à produção de gases e odores desagradáveis, situações que têm suscitado grande descontentamento da população, por ETAR’S compactas, mais eficazes e eficientes no tratamento dos efluentes, insere-se na estratégia de promoção de políticas ambientalistas, há muito encetadas pelo Município, com vista à melhoria das condições de vida das populações e do meio ambiente.

A CPCJ e a Biblioteca Municipal de Celorico da Beira comemoraram em conjunto o Dia do Abraço, no dia 24 de maio.

As comemorações dos Dias do Abraço e da Família constituem o culminar da ação de sensibilização/reflexão sobre a temática dos afetos e dos maus tratos na infância e juventude, que ocorre durante o mês de abril.

A teatralização do livro “Quero um abraço” de Simona Ciraolo, foi o mote para sensibilizar as crianças do pré-escolar público e privado do concelho, sobre a importância dos afetos como o amor, o carinho, a amizade e a atenção, na vida de pequenos e graúdos.
A contadora de histórias, Verónica González, recorreu a diversas formas animadas e outros recursos do mundo das histórias, para prender e envolver as crianças com a história de Filipe, um pequeno cato, que apesar de pertencer a uma família numerosa, sofria de carências afetivas, levando-as a descobrir a importância, a força e o poder de um simples abraço.
A sociedade atual vive em contra relógio. Não há tempo para as coisas mais simples e comezinhas como cultivar os afetos, dedicar tempo e atenção a quem se ama. A criação do Dia Internacional da Família (15 de maio), e do Dia do Abraço ( 22 de maio), visa levar a sociedade a refletir sobre a importância da estrutura familiar, do poder dos afetos em especial, do ato de abraçar que, para além de estreitar a proximidade entre as pessoas, traz grandes benefícios para a saúde, reduzindo a tristeza, a tensão arterial, a ansiedade e, aumentando o bem-estar, a calma e o conforto.